Páginas

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Uma imagem para a sexta… (#45)

Private Moon_New Zealand

Bem bacana a série Private Moon, criada pelo russo Leonid Tishkov. Uma lua artificial, criada com LEDs, plástico e metal, é fotografada em vários contextos e lugares diferentes. A foto acima foi feita na Nova Zelândia – ao fundo, o vulcão Rangitoto. Vale conferir o blog do moço.

(Via Fubiz e Leonid Tishkov)

domingo, 18 de dezembro de 2011

Simplesmente perfeito!

Queria saber quem foi o gênio que teve essa ideia. Simples e brilhante, como todas as ideias mais incríveis. A Easy Macro Cell Lens Band não é nada mais do que a fusão entre um elástico e uma lente de aumento, que serve para qualquer celular com câmera. E pra melhorar, é barata (15 dólares, mais 12 de frete). Pena que o estoque da Photojojo está esgotado. Mas eles prometem enviar em janeiro. Vou arriscar!  ;-)

Easy Macro 15


Easy Macro 04


macro-lens-band-3


Easy Macro 05

(Via
Wired)

domingo, 11 de dezembro de 2011

Arte + utopia + arquitetura = Cloud Cities

Sensacional essa instalação de Tomás Saraceno na Hamburger Bahnhof, em Berlim. Batizada de Cloud Cities, a mostra reúne vinte balões criados por esse artista argentino baseado em Frankfurt.

12_Saraceno_CloudCities

Vale aqui um parênteses: a Hamburger Bahnhof é um dos museus mais bacanas que eu visitei em Berlim (e eu nunca tinha ouvido falar nele antes da viagem!). Se só o prédio já é bacanérrimo – era uma estação de trem –, o nível das exposições de arte contemporânea que o museu hospeda é excelente. Ou seja: não dá pra deixar de visitar.

Voltando à exposição, Cloud Cities ocupa o hangar central da estação, e cada uma dessas “cápsulas-bolha” se liga a outras por meio de cabos de aço, formando um sistema conectado. Algumas delas abrigam, em seu interior, plantas suculentas, enquanto outras contêm teias geométricas.

13 14_Saraceno_CloudCities

11_Saraceno_CloudCities

A interação destas cápsulas com o espaço que as recebe é um ponto-chave na mostra. Mais do que observar essa interação, o público pode fazer parte dela, já que algumas das cápsulas-bolha são suficientemente grandes para serem acessadas pelos visitantes.

O resultado é uma visão surreal: um sistema de cápsulas interconectadas, criando uma espécie de biosfera utópica, na qual as pessoas aparentemente flutuam no ar, como que desafiando a gravidade.

10_Saraceno_CloudCities

A formação de Saraceno como arquiteto fica bem clara nessa instalação – impossível não pensar na geometria das geodésicas de Buckminster Fuller e nas criações utópicas de Peter Cook e seu Archigram na década de 1960 como possíveis influências.

09_Saraceno_CloudCities_Entwurfszeichnung

Dá vontade de ir pra Berlim A-GO-RA só pra poder visitar essa expo… se alguém estiver por lá até 15 de janeiro, aproveite!

(Via Sttatliche Museen zu Berlin)

sábado, 3 de dezembro de 2011

Função, estética e atemporalidade

Mais uma daquelas ideias simples e geniais que eu tanto adoro. Dessa vez é uma pequena estante, criada pela jovem designer finlandesa Martina Carpelan. Versátil e muito simpática, a Kulma (palavra que significa “canto” em finlandês) foi criada para ser usada nos cantos dos ambientes e pode ser instalada tanto no interior quanto no exterior das quinas. Dá uma olhada:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

No seu site, Martina diz que seu objetivo como designer é reunir função, estética e atemporalidade. Parece que ela conseguiu, né? Ah, a fonte que Martina usa no seu site, também criada por ela própria, é outro exemplo bacana dessa reunião.

(Via Dornob)

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Olafur Eliasson na Pinacoteca: imperdível!!

Demorou. Ou melhor, demorei. Mas ontem finalmente fui conferir a expo do Olafur Eliasson (salve, salve!!) na Pinacoteca. A exposição Seu Corpo da Obra é a primeira do dinamarquês na América Latina e dá pra dizer que ele “chegou chegando”: quatro instalações incríveis na Pinacoteca, além de outras espalhadas pela cidade (que eu ainda não vi).

A Pinacoteca, para mim, é um daqueles passeios sempre garantidos. Não bastasse o edifício incrível, as exposições nunca decepcionam. E aí que cheguei lá e fiquei empolgadíssima com as interações criadas por Olafur entre obra, espectador, edifício e cidade. Acho incrível a forma como ele consegue transformar a percepção que temos dos espaços. Genial!

Como dessa vez era permitido fotografar – nada mais natural num contexto em que a interação é chave –, entrei no clima e fiz vários cliques. Aí vão alguns deles, mas digo uma coisa: ao vivo é muito melhor, quem ainda não foi não pode deixar passar essa chance. E não tem desculpa, pois a expo segue até 8 de janeiro! Programinha de domingo tudo de ótimo…

Olafur na Pinacoteca 1Slow Light Sphere (2011)

Olafur na Pinacoteca 2Slow Light Sphere (2011)

Olafur na Pinacoteca 3Microscope to São Paulo (2011)

Olafur na Pinacoteca 4Take Your Time (2008): um espelho circular pendurado no teto do átrio central gira em torno do eixo central e permite novas vistas do edifício e das obras

Olafur na Pinacoteca 5Your Shared Planet (2011): a cidade vista pelos caleidoscópios de Olafur

Olafur na Pinacoteca 6Your Shared Planet (2011)

Olafur na Pinacoteca 7Dá pra notar que eu estava me divertindo, né?

P.S.: Em tempo: no site da Casa Vogue tem mais fotos da expo.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Pantonizando geral, sem gastar um tostão

Sou fã assumida da família Pantone, e tenho achado divertida essa “pantonemania”: é caderno, caneca, latinha… Mas hoje eu achei um jeito de “pantonizar” a vida que é o mais bacana – porque além de super presente ele é absolutamente free.

Pantones vários

Calma, gente, eu explico: a Pantone disponibilizou, no seu site, papéis de parede com seis cores, para os internautas baixarem em diversos formatos (até para iPad e iPhone). Gostou da ideia? Então corre lá e baixa também! Ah, sim, acho que nem preciso dizer que meu computador e demais iCoisas já estão devidamente pantonizados, né?  ;-)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Látex pra lá de moderno… e chique!!

Saudades que eu tava de postar aqui!! E o motivo que me traz de volta é tudo de bom: é que a Juliana Bertolini, designer multitalentosa, me mandou por e-mail fotos da nova coleção dela, chamada Bioelásticas.

bioelasticas_ameba

São brincos e outros acessórios feitos com lâminas de látex do projeto Tecbor, uma iniciativa bacanérrima do Lateq (Laboratório de Tecnologia Química), do Instituto de Química da UnB. “A partir da plasticidade desse material e da minha contínua referência (e reverência) as formas naturais, surgiu a coleção Bioelásticas.  São acessórios de borracha inspirados em formas da natureza – ora abstratas, ora figurativas”, ela conta.

floresta detalhe

Algumas peças podem ser usadas de mais de uma forma, como mostra a foto lá de cima.

Interessante pensar como o látex, um material tão antigo e singelo, pode ganhar contornos super modernos e dar vida a acessórios que são verdadeiros objetos de desejo. Já vou providenciar o(s) meu(s)!!  :-)

Quer ver mais? Dá uma olhada no blog da Ju, lá tem todos os modelos (e ela conta onde vende!). Até as embalagens são fofas.

domingo, 7 de agosto de 2011

Fazendo (e criando) muito a partir de pouco…

Nesta semana que passou estive em Bento Gonçalves (RS) para visitar a Casa Brasil. Foi a primeira vez que visitei a feira, que está em sua terceira edição, e fiquei super bem impressionada. Muito bem montada, com produtos de qualidade e uma ótima programação de palestras – que incluía os designers brasileiros Fred Gelli e Renato Imbroisi, além do alemão Konstantin Gric e do italiano Riccardo Blumer –, a feira já está se tornando uma referência no setor.  (Postei algumas das novidades mais bacanas no site da Casa Vogue, se quiser conferir clique aqui)

stand_casabrasil_1

Mas o que me fez escrever esse post foi essa ideia aí de cima, que vi no stand da Prima Design. Visto de longe, o stand chamava a atenção por uma estrutura de madeira com uma trama intrigante, bastante diferente de tudo o que eu já tinha visto. Aí fui chegando mais perto e percebi que na verdade, o tal material nada mais era do que sacolas plásticas de supermercado trançadas numa espécie de tricô. E o efeito ficou muito bacana, olha só:

stand_casabrasil_2

Escrevendo isso, me lembrei do que disse o Fred Gelli na coletiva de imprensa após sua palestra: “o brasileiro tem esse trunfo, ele sabe fazer muito a partir de muito pouco”. A fachada desse stand é um exemplo claríssimo disso, não acham?  ;-)

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Design Excellence Brazil 2012

Eu já falei aqui sobre o Design Excellence Brazil, um programa bacanérrimo que desde 2003 promove a indústria brasileira no exterior ao apoiar a participação no importante iF Product Design Award.

“Uma premiação internacional pode gerar competitividade e aumentar o interesse do mercado interno em buscar inovação em seus produtos”, afirma a coordenadora do Design Excellence Brazil, Juliana Buso, do Centro de Design Paraná. “Além disso, é através de iniciativas como esta que a visibilidade nacional cresce no exterior, e como conseqüência fortalece o mercado e o prepara para a exportação”, completa.

DE Brazil 2011

Na última edição do iF Product Design Award, 23 produtos brasileiros foram contemplados por meio do DEBrazil 2011 (alguns deles estão aí em cima). Os premiados receberam o selo iF, aval de excelência em design, e participaram de uma exposição em Hannover, paralela à CeBIT – uma das maiores feiras de tecnologia do mundo. Além disso, seus produtos podem ser vistos na exposição online na página do iF, e ainda integram o yearbook do prêmio, com tiragem de 5 mil exemplares e circulação por mais de 43 países. Uma bela ajuda na divulgação de qualquer projeto, não?

Então, se você ainda não se inscreveu, é hora de se agilizar! As inscrições para a primeira etapa do DE Brazil 2012 estão abertas até esta sexta-feira (15/07), são gratuitas e podem ser feitas através do site do programa.

*** Atualização: o prazo para as inscrições foi estendido até 21 de julho.***

(Via Centro de Design Paraná)

sábado, 2 de julho de 2011

Gaetano Pesce e suas reflexões sobre o design


Cama Nobodys Perfect

“Nosso tempo é um tempo líquido, não é um tempo rígido, não é um tempo duro. É um tempo elástico. Portanto, tudo aquilo que é líquido me interessa. (…) Nós mesmos somos feitos de líquido, e, portanto, o que é vital é líquido.”

A frase aí de cima foi dita pelo designer Gaetano Pesce durante nossa conversa em Curitiba – ele esteve lá para falar sobre seu trabalho e recebeu a acolhida que merecia: o público simplesmente lotou o auditório do Museu Oscar Niemeyer. A entrevista está postada lá no site da Casa Vogue, para conferir tudo (tem uma galeria de fotos também), clique aqui.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Design saído do forno!

 

kulla_design-table_lamps_02

De um tempo para cá eu tenho prestado mais atenção ao design israelense. Tenho visto coisas super bacanas criadas por estúdios de Israel, com frequência incluindo pesquisa de materiais (como os dois projetos do estúdio Bakery, que já publiquei aqui e aqui). E aí hoje eu me deparei com essa luminária criada pelas meninas do Kulla, e adorei.

kulla_design-table_lamps_01

Já de cara ela me chamou atenção pela aparência, mas quando fiquei sabendo como era produzida, achei melhor ainda. É o seguinte: o difusor é feito de serragem e sacolas plásticas velhas. E só. As designers Adi Shpigel e Keren Tomer tiveram a ideia de juntar os dois materiais em proporções iguais (daí vem o nome da coleção: 50% Sawdust), misturá-los e colocá-los para assar no forno, prensados dentro de moldes metálicos. O calor derrete o plástico, que se encarrega de “dar a liga” na serragem e, assim, formar uma peça sólida. Simples e eficiente!

kulla_design

kulla_design-table_lamps_04

(Via Designboom)

Bom, bonito e… inteligente!

Olha que ideia simples, fácil de fazer e super funcional. Eu tenho um apetrecho parecido no sofá da sala, pra deixar os controles remotos sempre à mão. Mas nunca tinha pensado que essa podia ser uma saída para quem não tem espaço suficiente no quarto para ter um criado-mudo ao lado da cama (ou mesmo os dois!). Dá uma olhada:

Bedpack

(Via HolyCool)

domingo, 12 de junho de 2011

Prêmio Tok&Stok de Design 2011

Sou fã de móveis e objetos multifuncionais. Por isso, já tô curiosa pra ver o resultado do Prêmio Tok & Stok de Design Universitário desse ano. Mas vou ter que esperar um pouco, porque o prêmio ainda está na fase de inscrições. Se vc é estudante, vai lá:

Premio Tok & Stok 2011

Para mais informações, clique aqui. E pra ver os vencedores do ano passado (o tema foi “empilhar”, clique aqui).

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Uma imagem para a sexta… (#44)


Kappor_Leviathan

E o Anish Kapoor sempre emocionando… A foto acima é da instalação que ele criou para a Monumenta 2011 e que ocupa a nave central do Grand Palais, em Paris. Visitar um espaço desses deve ser uma experiência e tanto… Pra entender melhor e ver outras fotos lindas, dê uma olhada no site dele.

(Via Anish Kapoor e Monumenta)

domingo, 22 de maio de 2011

Cantos iluminados com muito estilo

Adorei essa ideia do designer norte-americano Peter Bristol: minimal e elegantérrima ao mesmo tempo… Dá uma olhada:

Corner Lamp_Peter Bristol

A luminária se chama Corner Light (óbvio!) e foi criada para a não menos bacana Established & Sons. Muito legal o jeito como ela, à primeira vista, se integra com a arquitetura e depois o fio denuncia que se trata de uma peça independente…

Dá um “up” em qualquer espaço, não?

(Via Peter Bristol)

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Vintage tecnológico

Um tempinho atrás eu postei aqui uma nota criticando uma doca de madeira para iPad que achei totalmente equivocada. Agora me deparei com essa doca para iPhone também em madeira que é um ótimo exemplo de como o contraste do novo com o antigo pode funcionar bem, desde que seja tratado de uma forma elegante e não-caricata.

Doca madeira iPhone_1


Doca madeira iPhone_2
Projetada pelo designer Jonas Damon, a peça tem pegada vintage, remetendo àqueles antigos rádios-relógios que imitavam madeira, comuns nos Estados Unidos entre as décadas de 1970 e 1980. A diferença é que este aqui é de madeira mesmo e utiliza-se das funções do iPhone ou do iPod touch, permitindo flexibilidade de uso. Além disso, vale mencionar a economia de energia quando se substitui o rádio-relógio de verdade: quando o usuário sai de casa, leva o telefone consigo e, assim, não há consumo energético algum, o que é um ponto positivo no que diz respeito à racionalização de energia. Legal, né?

(Via HolyCool e Jonas Damon)

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Arte nas ruas (literalmente)

Juliana Santacruz Herrera_3

Estava aqui tentando atualizar meus feeds (que não baixam nunca de 1000 não-lidos, quero acreditar que o contador esteja estragado) quando me deparei com o trabalho da artista Juliana Santacruz Herrera, que usa as ruas de Paris como suporte para intervenções bastante coloridas, feitas diretamente sobre o asfalto – ou melhor, sobre as rachaduras nele existentes.

Juliana Santacruz Herrera_1

Juliana Santacruz Herrera_6
Juliana Santacruz Herrera_5
Juliana Santacruz Herrera_4
Juliana Santacruz Herrera_2

Embora não tenha ficado clara para mim a proposta da moça com esse trabalho (trazer beleza à imperfeição? ou denunciar o descaso com a manutenção do sistema viário e das calçadas?), acho que é, no mínimo, interessante. By the way: ela teria bastante trabalho aqui em São Paulo…

(Via Designboom)

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Uma imagem para a sexta… (#43)


A imagem de hoje é uma frase... Em meio à correria da cobertura do Salão do Móvel de Milão (um dos motivos da minha ausência por aqui ultimamente), me deparei com essa frase estupenda do Munari. Nem preciso dizer que amei, né? Tinha que fotografar e compartilhar aqui com vocês.  ;-)

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Quando Campanas encontram Shigeru Ban…

…será que é isso que acontece? Não posso garantir, mas foi a primeira ideia que me veio à cabeça quando vi esse pufe aqui, criado pelo estúdio Page Tan, de Singapura. Dá uma olhada:

Igloo_1

Gostei do jeito como eles “tecem” usando a mangueira de PVC transparente com os cabos de nailon brancos. E a geometria inteligente do desenho dispensa qualquer estrutura, gerando uma peça resistente, mas ainda macia. Não é ótimo?

Igloo_3

Igloo_2

(Via Designboom / fotos Designboom)

Concurso: Electrolux Design Lab 2011

Alô estudantes e recém-formados em Design Industrial: até o dia 01 de maio vocês ainda podem se inscrever no Electrolux Design Lab 2011. Em sua nona edição, o concurso chama estudantes do mundo todo a criar eletrodomésticos com “mobilidade inteligente”.

Os protótipos inscritos devem combinar preocupação com o meio ambiente, facilidade de uso e apelo estético. “Esse desafio não é apenas a criação de eletrodomésticos que sejam menores, mas que também proporcionem controle e flexibilidade para poupar o tempo e apoiar expressões criativas”, esclarece Henrik Otto, vice-presidente global de Design da Electrolux, em video no canal oficial do concurso no YouTube.

Electrolux Design Lab 2010

As inscrições podem ser feitas até às 23h59, do dia 1 de maio de 2011, exclusivamente pela internet, no site do Electrolux Design Lab (onde também tem mais informações sobre o concurso, regulamento e tals). Oito finalistas vão participar da etapa final, que acontecerá no dia 17 de julho de 2011 em uma cidade da Europa (a ser anunciada). Os candidatos terão de apresentar seu conceito individual para um júri de especialistas em design. Ao final, será escolhido o vencedor, que será premiado com um estágio remunerado de seis meses no Centro de Design Global da Electrolux, além de 5.000 euros em dinheiro. ). O segundo lugar receberá 3.000 euros e o terceiro, 2.000 euros. Bora se inscrever?

(Via Electrolux Design Lab)

sábado, 2 de abril de 2011

Design para o fundamental

Que a água é um recurso cada vez mais escasso, é um fato já bastante óbvio. Mas o que às vezes a gente esquece é que, em alguns lugares, ela sempre foi escassa. Uma em cada 8 pessoas no mundo não tem acesso à água potável, e essa é a causa de cerca de 80% das doenças nas regiões subdesenvolvidas.

E aí que eu achei genial a ideia do estudante Jonathan Liow, da Monash University, na Austrália: ele desenvolveu, em seu trabalho de graduação no curso de Design Industrial, um sistema simples e portátil para “criar” água potável até nos lugares mais inóspitos. Trata-se da Solarball, um equipamento de uso amigável e que é capar de produzir até 3 litros de água potável por dia, desde que haja luz solar abundante – perfeito para países como os da África, por exemplo.

Solar Ball 1

O corpo da Solarball absorve a luz solar e faz com que a água suja contida em seu interior evapore. O vapor, que é água pura – e, portanto, potável – é depois coletado e armazenado na própria cápsula da bola.

Solar Ball 3

Claro que ainda há alguns pontos a se considerar, a começar pelo material, que deve ser, além de barato, resistente o suficiente para aguentar a exposição prolongada (e diária) ao sol forte. Outro fator é a capacidade da bola, que é relativamente pequena (seria preciso uma por pessoa).

Mas que a ideia é muito boa e o projeto, promissor, não resta dúvida. Tanto que a Solarball já foi escolhida como finalista do James Dyson Award de 2011 e, segundo o site da Monash University, será apresentada também no Salão do Móvel de Milão. Espero poder vê-la pessoalmente por lá!!

(Via TreeHugger e Monash University)

segunda-feira, 28 de março de 2011

And the winner was…

 

plumen

É com alegria (e algum atraso) que informo aos caríssimos leitores do Design do Bom que a Plumen 001, aquela bacanérrima lâmpada fluorescente que já publiquei aqui há algum tempo, foi a grande vencedora do prêmio Brit Insurance Designs of the Year 2011. Mais do que merecido!

(Via DesignMuseum e Plumen)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails