Páginas

sexta-feira, 12 de março de 2010

Design finlandês além dos clássicos

Quando se fala em design finlandês, logo vêm à cabeça os nomes de Alvar Aalto, Eero Arnio, Tapio Wirkkala e Timo Sarpaneva (clássicos) e de Harri Koskinen e Ilkka Suppanen (contemporâneos). Mas o design produzido neste país nórdico tem um fôlego muito maior do que o dos grandes nomes conhecidos internacionalmente. Apesar de seu tamanho (tem apenas 5 milhões de habitantes), a Finlândia possui uma produção em design super consistente – pode-se dizer que o design é tão importante para eles que está diretamente ligado à identidade nacional.
Organizada pelo Designmuseo de Helsinke, a exposição Estrelas do Design Finlandês, que acontece no Instituto Tomie Ohtake com patrocínio da Tok & Stok, reúne mais de 200 peças, entre móveis, vidros e porcelanas, objetos industriais, roupas e tecidos. Quem visitá-la, além de conferir de perto móveis e objetos que ocupam lugar de destaque na história do design, poderá conhecer novas facetas dos grandes designers finlandeses, e também conhecer o trabalho de outros designers não tão conhecidos de nós, brasileiros.


Tomemos por exemplo Alvar Aalto, provavelmente o mais famoso de todos. Além dos clássicos como os móveis em madeira curvada (acima) e os vasos Savoy, a exposição inclui duas padronagens de tecido desenvolvidas por ele na década de 1950 (abaixo, à esquerda). Da mesma forma, Timo Sarpaneva, famoso por sua produção em vidro, também atuou como designer têxtil – me chamou atenção a gestualidade da estampa criada por ele em 1965 (abaixo, à direita), em contraponto à racionalidade dos tecidos de Aalto, que, curiosamente, em nada lembram as linhas orgânicas do seu mobiliário. 


Quanto às novas descobertas (“novas” pelo menos para mim), tive várias boas surpresas. A começar pelo banquinho para sauna (abaixo) criado por Antti Nurmesniemi, que não só é lindo, explorando toda a plasticidade e a textura da madeira laminada, como extremamente funcional: basta lembrar que os finlandeses têm o hábito de frequentar a sauna do jeito que vieram ao mundo (!), então aquele vazado no centro é providencial, pois garante a higiene, já que a rotatividade de usuários é grande. 


A intimidade e a facilidade no trato com a madeira, sempre caracterizado pela leveza e pelo apuro formal, é uma constante no design finlandês do século XX e permanece até os dias de hoje, e certamente as técnicas desenvolvidas por Alvar Aalto na virada dos anos 1930, junto com a fábrica de móveis Korhonen, tiveram importante papel nesse sentido. Outros objetos que fiquei conhecendo na mostra e que representam esse legado são o cadeirão em compensado de bétula, criado em 1970 por Ben af Schulten (abaixo, à esquerda), e a poltrona com descansa-pés em madeira laminada (abaixo, à direita). 


Na mostra, também estão incluídos alguns móveis do Art Nouveau finlandês, produzidos no finzinho do século XIX, com duas abordagens diversas: enquanto a cadeira criada por Louis Sparre (abaixo, à esquerda) apresenta um desenho leve, apresentando curvas e motivos orgânicos, as peças assinadas por Eliel Saarinen são mais pesadas e trazem motivos geométricos entalhados no encosto (abaixo, à direita). 


A exposição Estrelas do Design Finlandês acontece até 02 de maio e definitivamente vale a visita. Para ver o folder da mostra, clique aqui.
(Fotos @ Designdobom)

Um comentário:

  1. Oi winnie parabens pelo blog, visite o meu de design sustentavel. obrigado e um abraço.

    ResponderExcluir

Você tem algo a dizer? Ótimo, escreva aqui!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails